Google+ Followers

Seguidores

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Gentileza gera gentileza! E você, o que gera?

Quem conhece a história de José Datrino, que ficou conhecido como Profeta Gentileza, na cidade de Niterói, no Rio de Janeiro, entre as décadas de 60 e 90, sabe que foi ele quem imortalizou essa assertiva - Gentileza gera Gentileza.

Tratei profundamente desse lindo tema no meu livro "O PODER DA GENTILEZA - O modo como você trata as pessoas determina quem você é". E depois de tantos estudos, descobri que a reação das pessoas nem sempre é tão linear ou óbvia quanto imaginamos ou gostaríamos.


De modo que podemos fazer algumas reflexões. Por um lado, pode mesmo ser que gentileza gere gentileza, assim como falta de gentileza tende a gerar falta de gentileza. Algo como "pago na mesma moeda". Entretanto, também pode acontecer da gentileza nem sempre gerar gentileza e a falta de gentileza nem sempre gerar a mesma reação no outro.

Isso significa que, diante de atitudes gentis, algumas pessoas ficam desconfiadas ou com medo de retribuir e se darem mal. Por isso, reagem negativamente. Algo como "quando a esmola é demais, o santo desconfia". Assim como diante da falta de gentileza, algumas pessoas fazem questão de reagir com gentileza só para mostrar que existem outros tipos de comportamento. Algo como "dar um tapa com luva de pelica".


Só por isso, já podemos concluir que pessoas são únicas e agem a partir de suas crenças. E crenças existem muitas. Desde as limitantes e que nos impedem de enxergar alternativas mais criativas diante de um gesto não gentil, até as edificantes, que nos destaca da mediocridade e nos torna pessoas mais alinhadas com o propósito de fazer dar certo.


A questão é: e você, o que tem gerado? Quais têm sido suas crenças? Aquelas do tipo "chumbo trocado não dói" ou "eu não levo desaforo pra casa"? Ou você tem sido daquelas pessoas raras, admiráveis, com quem a gente sente vontade de conversar, conviver, ser amigo ou até algo mais, de tão gostosas (no sentido amplo e profundo) que elas são?


E tem mais: muitas vezes, ser gentil com quem a gente vê uma vez ou outra pode ser bem mais fácil do que ser gentil com quem a gente mora, com quem a gente divide intimidades e até com quem a gente trabalha. Pessoas assim são aquelas consideradas "um doce" fora de casa e "um demônio" dentro, sabe?


É... dessas existem aos montes, infelizmente! E nem se dão conta de que estragam tudo, perdem o melhor de sua própria festa. Tomara que em algum momento antes de chegarem ao fim da vida, sejam privilegiadas com o amargo sabor do arrependimento por não estarem sendo mais coerentes com seu coração e menos preocupadas com uma máscara perfeita para exibir socialmente. E assim, possam recomeçar de um modo mais gentil!


Mas sabe o que é o pior de tudo? É quando confundimos gentileza com educação ou com romantismo. Gentileza, minha gente, não é nem educação e nem romantismo. Não se trata de dizer "bom dia", "com licença" ou "por favor". Nem se trata de mandar flores, preparar um jantar à luz de velas ou puxar a cadeira para uma dama se sentar. Tudo isso é lindo, ótimo e quanto mais você fizer, melhores serão seus relacionamentos, sem dúvida. Mas, ainda assim, não se trata de gentileza!


Gentileza é enxergar o outro de verdade. É escutar mais e falar menos. É ponderar no momento em que ele não concorda com você. É não revidar. É não disputar para ver quem fala mais alto. É conseguir "baixar a bola" no momento em que "o bicho tá pegando". Sabe aquela hora que os ânimos estão exaltados, a briga está prestes a começar e você consegue respirar fundo e propor um consenso? E se não der, que ao menos proponha recomeçar a conversa quando estiverem mais calmos?


Gentileza, meu caro, é ser bem mais fiel ao que você sente do que ao seu orgulho, à sua vontade de parecer seguro, autossuficiente e inabalável. Gentileza é, por fim, ser tão gente quanto qualquer outra pessoa, seja ela quem for. Porque, no final das contas, felicidade tem muito mais a ver com o modo como tratamos as pessoas do que podemos imaginar...


Rosana Braga

12 comentários:

  1. Re, que texto primoroso!
    Estou encantada!

    Eu conheci o Profeta Gentileza através da mídia. Ele foi bastante famoso e muitos não aceitavam o modo de vida dele! Foi um homem fantástico e surreal e sempre espalhava que gentileza gera gentileza! Mas tantas vezes ele não foi compreendido e até mal tratado.
    Pois é, a brilhante autora deste texto narra essa possibilidade de que nem sempre oferecendo gentileza, a recebemos!!
    Mas o importante é tentar resistir e realmente ser um ouvinte e torna-se sereno em meio a um grande conflito. Essa é a verdadeira gentileza!!

    Foi muito bom passar por aqui!
    Deixo um beijo e desejos de ótima noite!!!

    ResponderExcluir
  2. Re,gostei do jeito que abordou o tema, e da sua conclusão, sabias palavras indicado aqui.

    abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi Re,temos que ser real,e gentil assim a vida se torna mais doce.Em todos os lugares.
    E com todos.muito bom oque nos disse. uma boa noite.

    ResponderExcluir
  4. Olá Re, gostei muito desta postagem! Creio que gentileza tem haver com: ser sensível aos outros e as suas necessidades, compreender, sentir o que os outros sentem, ser amigo, espontâneo, ser brando, paciente,bondoso...A palavra de Deus nos diz: "Quem age com bondade faz bem a si mesmo..."(Provérbios 11:17); "Alegrem-se com os que se alegram e chorem com os que choram."(Romanos 12:15); "Sempre que pudermos devemos fazer o bem."(Gálatas 6:10); "Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês..."(Mateus 7:12); "As palavras bondosas dão vida nova..."(Provérbios 15:4); "Ninguém procure somente seus próprios interesses, mas também os dos outros."(Filipenses 2:4) e tantos outros versículos que ilustrariam o tema da tua postagem. Se praticarmos a palavra de Deus não fica difícil ser gentil. Parabéns pela postagem!
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  5. Quero agradecer a todos que passaram por aqui e deixaram seus comentários e opiniões

    com carinho

    Re

    ResponderExcluir
  6. Maravilha!
    Final primoroso.
    Beijão Re.
    Fui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beth que te ver aqui, obrigada mesmo

      bjão

      Excluir
  7. Bem, a questão é cultural, ainda sempre bastante desconfiado de quem demonstra muita bondade e gentileza .... um paradoxo ... mas, real.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada Joselito, é bem verdade que quando sentimos que uma pessoa é muito gentil agente até desconfia....incrível isso, mas é

      bj

      Excluir
  8. Eu sou uma pessoa muito empática e acho que gentileza tem a ver com empatia. Se nós somos capazes de sentir como o outro está sentindo, naturalmente seremos gentis com o outro.
    Muito preciso o texto.
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Gentileza é uma das atitudes mais revolucionárias que existem. Pois, se o egoísmo predomina, o que dele provém? A competição desenfreada pelo sustento da vaidade. A gentileza quebra qualquer vaidade e aduba nosso impulso em sermos solidários!

    Ser gentil é ser revolucionário!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Mais uma vez quero agradecer o todos que passaram por aqui

    um carnho pra vcs

    Re

    ResponderExcluir

Leitores do Blog