Google+ Followers

Seguidores

sábado, 8 de agosto de 2009

O DIA DOS PAIS


As comemorações do dia dos Pais dizem ser meramente comercial, como acontece com o dia das mães. Na realidade não é bem isso que acontece. Afirmam alguns que a homenagem tem como objetivo precípuo criar datas para fortalecer os laços familiares e o respeito por aqueles que nos deram à vida. Conta à história que em 1909, em Washington, Estados Unidos, Sonora Louise Smart Dodd, filha do veterano da guerra civil, John Bruce Dodd, ao ouvir um sermão dedicado às mães, teve a idéia de celebrar o Dia dos Pais.Ela queria homenagear seu próprio pai, que viu sua esposa falecer em 1898 ao dar a luz ao sexto filho, e que teve de criar o recém-nascido e seus outros cinco filhos sozinhos. Algumas fontes de pesquisa dizem que o nome do pai de Sonora era William Jackson Smart, ao invés de John Bruce Dodd. Já adulta Sonora sentia-se orgulhosa de seu pai ao vê-lo superar todas as dificuldades sem a ajuda de ninguém. Então, em 1910, Sonora enviou uma petição à Associação Ministerial de Spokane, cidade localizada em Washigton, Estados Unidos. E também pediu auxílio para uma Entidade de Jovens Cristãos da cidade. O primeiro Dia dos Pais norte-americano foi comemorado em 19 de junho daquele ano, aniversário do pai de Sonora. A rosa foi escolhida como símbolo do evento, sendo que as vermelhas eram dedicadas aos pais vivos e as brancas, aos falecidos. Em 1972, o presidente americano Richard Nixon oficializou o Dia do Pai. Naquele país, ele é comemorado no terceiro domingo de Junho.
Em Portugal é comemorado a 19 de Março. Isso pode ter ocorrido da maneira com está explicita nas entrelinhas dessa homenagem, porém é uma criação dos povos americanos para homenagear seus pais. O dia dos pais é um dia muito antigo, senão vejamos: “O Dia dos Pais tem origem na antiga Babilônia, há mais de quatro mil anos”. Um jovem chamado Elmesu Moldou esculpiu em argila o primeiro cartão. Desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai. Já na terrinha, o querido Brasil, o dia dos Pais é comemorado no segundo domingo de Agosto. A criação da data é atribuída ao publicitário Sylvio Bhering, em meados da década de 50, festejada pela primeira vez no dia 14 de Agosto de 1953, dia de São Joaquim, patriarca da família. Como denotamos existe uma diversificação entre datas e Países em que os filhos homenageiam seus Pais. O que vale é o amor paternal com reciprocidade verdadeira, amor de filho para pai e vice-versa. Ainda existem muitos países que comemoram em datas diferentes e aqui citamos alguns deles: “Países que celebram no terceiro domingo de Junho: África do Sul; Argentina; Chile; Eslováquia; Canadá; Filipinas; França; Hong-Kong; Holanda; Índia; Irlanda; Japão; Macau; Malásia; Malta; México; Peru; Reino Unido; Turquia e Venezuela”. Países que celebram em outras datas: Países como a Áustria: segundo domingo de Junho; Austrália: o primeiro domingo em Setembro; Bélgica: St Josephs day (19 de Março), e o segundo domingo em Junho ("Secular"); Brasil: segundo domingo de Agosto; Bulgária: 20 de Junho; Dinamarca: 5 de Junho; República Dominicana: último domingo de Junho; Alemanha: no Dia da Ascensão de Jesus Cristo. Muita história no dia dos pais, mas o que devem oferecer a eles além do amor, carinho, dedicação, confiança, obediência e transforma-lo em amigo de todas as horas. Do latim pater, a palavra pai designava originalmente toda pessoa que dava origem a outro ser. O Direito Romano, base de nosso ordenamento civil, conferia ao pai o título de paterfamiliae, o cidadão romano chefe de família. Já definiam os romanos que “is est pater quem justae nuptiae demonstrant” (o pai legítimo é aquele que o matrimônio como tal indica). E nesta condição, todos os seus descendentes a ele se vinculavam sem poder de oposição, onde se incluía a própria esposa. Ao meu pai já no mundo celestial e as pais que se encontram na condição do meu que lá estejam felizes e gozando as benesses que a vida espiritual oferece. Aos demais pais vivos do Ceará, do Brasil e do mundo o que posso oferecer está inserido nesses versos que de amor e coração dedico a eles, além de muita paz, saúde e felicidades, além dos parabéns. Ser pai: Ser pai é ser companheiro, construindo no ninho familiar a grandeza dos filhos, para alicerçar valores que edificam a sociedade. Ser pai é ser jardineiro, plantando raízes de virtudes com mãos delicadas, para que o lar seja - sementeira de luz e de verdade. Ser pai é ser herói, protegendo o espaço sagrado de seu templo-família, cultivando no coração dos filhos o germe da harmonia. Ser pai é ser fonte de vida, inaugurando nossa história com gestos de amor, renovando perenemente a herança da criação. Ser pai é ser poeta, declamando com carinho os versos de sua vivência, para cultivar e enobrecer os projetos de nossa existência. Meu Pai onde estiveres quero dizer que Te Amo!






SER PAI
Ser pai é acima de tudo,
não esperar recompensas.
Mas ficar feliz caso e quando cheguem.
É saber fazer o necessário por cima e por dentro da incompreensão.
É aprender a tolerância com os demais e exercitar a dura intolerância (mas compreensão) com os próprios erros.
Ser pai é aprender errando, a hora de falar e de calar.
É contentar-se em ser reserva, coadjuvante, deixado para depois.
Mas jamais falar no momento preciso.
É ter a coragem de ir adiante,
tanto para a vida quanto para a morte.
É viver as fraquezas que depois corrigirá no filho,
fazendo-se forte em nome dele e de tudo o que terá de viver para compreender e enfrentar.
Ser pai é aprender a ser contestado mesmo quando no auge da lucidez.
É esperar.
É saber que experiência só adianta para quem a tem, e só se tem vivendo.
Portanto, é agüentar a dor de ver os filhos passarem pelos sofrimentos necessários, buscando protegê-los sem que percebam, para que consigam descobrir os próprios caminhos.
Ser pai é saber e calar.
Fazer e guardar.
Dizer e não insistir.
Falar e dizer.
Dosar e controlar-se.
Dirigir sem demonstrar.
É ver dor, sofrimento, vício, queda e tocaia, jamais transferindo aos filhos o que, a alma, lhe corrói.
Ser pai é ser bom sem ser fraco.
É jamais transferir aos filhos a quota de sua imperfeição, o seu lado fraco, desvalido e órfão.
Ser pai é aprender a ser ultrapassado, mesmo lutando para se renovar.
É compreender sem demonstrar, e esperar o tempo de colher, ainda que não seja em vida.
Ser pai é aprender a sufocar a necessidade de afago e compreensão.
Mas ir às lágrimas quando chegam.
Ser pai é saber ir-se apagando à medida em que mais nítido se faz na personalidade do filho, sempre como influência, jamais como imposição.
É saber ser herói na infância, exemplo na juventude e amizade na idade adulta do filho.
É saber brincar e zangar-se.
É formar sem modelar, ajudar sem cobrar, ensinar sem o demonstrar, sofrer sem contagiar, amar sem receber.
Ser pai é saber receber raiva, incompreensão, antagonismo, atraso mental, inveja, projeção de sentimentos negativos, ódios passageiros, revolta, desilusão e a tudo responder com capacidade de prosseguir sem ofender; de insistir sem mediação, certeza, porto, balanço, arrimo, ponte, mão que abre a gaiola, amor que não prende, fundamento, enigma, pacificação.
Ser pai é atingir o máximo de angústia no máximo de silêncio.
O máximo de convivência no máximo de solidão.
É, enfim, colher a vitória exatamente quando percebe que o filho a quem ajudou a crescer já, dele, não necessita para viver.
É quem se anula na obra que realizou e sorri, sereno, por tudo haver feito para deixar de ser importante
Fonte:MENSAGEMS E POEMAS

5 comentários:

  1. Saudações!
    AMIGA REGINA,
    Seu texto está muito bem fundamentado, os históricos se conflitam, mas, é natural, é assim que são registradas as grandes datas e os fatos que fazem a humanidade ou que mudam os destinos da humanidade. Independente de datas, o importante é que nossos pais sapateiam em nossos corações. Muitos por motivos alheios a prórpia vontade não podem estar com os seus, outros vivenciam dias muito mais felizes...O importante é que amamos!
    Sua poesia registra palavras que sairam de seu espírito, faladas por seu bondoso coração.
    Parabéns pelo excelente Post!
    ABRAÇOS!LISON.

    ResponderExcluir
  2. Desconhecia a origem desta comemoração. As comerorações tem a virtude de nos reavivar a memoria sobre os homenageados.
    Felizes dos que ainda os têm.

    Parabéns pelo seu belissimo texto
    Abraços
    Emilia

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso texto.
    Eu sou uma pessoa muito feliz, pois tenho o meu pai aos 84 anos muito saudável fisica e mentalmente.Ele é nossa fortaleza.
    Abração!
    terezab

    ResponderExcluir
  4. Rê,
    Muito interessante. Não sabia a origem. Gostei muito.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo texto elucidativo muito bom mesmo e mais complementando com a homenagem, show de bola amiga.
    Abraços forte

    ResponderExcluir

Leitores do Blog