Google+ Followers

Seguidores

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Coração Dividido é Coração de Ninguém

A divisão produz desarmonia. Proteja-se e viva mais feliz com seu cônjuge.

Jesus um dia explicou que uma casa (o íntimo do ser) dividida não pode subsistir e que por isso a pessoa deveria escolher a quem servir, ao bem ou ao mal, a Vida ou a morte. Uma das mais graves enfermidades mentais  a esquizofrenia  significa mente dividida. O esquizofrênico experimenta uma separação ou divisão entre ele e as pessoas sem conseguir uma união consigo mesmo.

Tem ocorrido muita infidelidade conjugal. Isto é, uma divisão de afetos e interesses. Não é raro encontrar maridos, por exemplo, que obtêm de sua esposa os cuidados domésticos gerais, mas que procuram prazer sexual fora do casamento.

Também há muitas esposas que cuidam de seus maridos quanto aos aspectos de alimentação, cuidado da casa e filhos, mas que procuram um caso fora no qual se sente apaixonada.

Homens e mulheres casados legalmente e que têm um relacionamento com outra pessoa fora do casamento seja em termos afetivos só ou também sexuais, estão divididos. E um coração dividido é um coração de ninguém.

A divisão produz desarmonia. Evita o aprofundamento do relacionamento. Impede o crescimento da intimidade afetiva entre o casal. Enquanto a pessoa que mantém um relacionamento fora do casamento mantiver este caso, ela não resolve suas carências afetivas e sexuais, não define nada, adia o enfrentamento da realidade de que não se pode manter este tipo de vida sem um preço alto contra a saúde, e se ilude.

Um dos grandes problemas maléficos das novelas de televisão é a transmissão da forte mensagem de felicidade afetiva plena entre homem e mulher como se fosse possível obter-se esta felicidade no sentido de encontrar em uma pessoa tudo o que o ser humano necessita. Esta mensagem ilusória, do achar o amor da minha vida, enfatiza, nestes seriados de horário nobre na TV, um humanismo perigoso. Gera a crença de que alguém lá fora deve ser capaz de preencher todas as necessidades afetivas pessoais.

Daí, quando o indivíduo na vida real se vê frustrado com seu cônjuge, pode começar a imaginar que deve ter um alguém melhor para ele. E pode, assim, começar a se tornar vulnerável e cair na armadilha da infidelidade conjugal.

Mantendo um relacionamento extraconjugal, seu coração fica dividido. E um coração dividido é um coração de ninguém, porque não é nem do cônjuge e nem do amante. Tem roupa lavada e comida quentinha com sua esposa, e sexo e romance com a outra. Tem dinheiro e conforto físico com um homem, e sensualidade e romance com outro.

Nenhum ser humano pode preencher todas as necessidades afetivas de outro ser humano. Não importa quantas novas pessoas você possa conhecer e se relacionar. A euforia entre amantes, segundo cientistas que estudam a psicologia da família e da vida conjugal, dura no máximo dois anos. Depois começam a surgir os problemas entre eles. Talvez os mesmos que cada um tinha ou tem com o cônjuge.

Pesquisas científicas mostraram que 60% das pessoas casadas que se separam e casam de novo sem dar um tempo para resolver seus problemas emocionais pessoais, se separam novamente. Dos que se casam uma terceira vez, 70% se separam novamente. (estudos do Dr. John Gottman, Seatle, Washington, etc.).

A única solução é a pessoa aceitar que não há outro indivíduo que pode preencher tudo em sua vida. E aprender a lidar com algum vazio interior inevitável, sem fugir rapidinho para um novo amor, mesmo que ele pareça prometer resolver este buraco no peito chamado angústia. Quando se aceita isto, resolve-se a divisão do coração e alguma harmonia interior pode surgir, e real felicidade, pois ela estará em paz consigo mesma, reconhecendo que um coração dividido é coração de ninguém e que um coração unificado com a verdade, a honestidade, a sinceridade, a fidelidade, a aceitação dos limites pessoais e do outro para amar, é o caminho que satisfaz de forma duradoura.


Escrito por PortalNatural

0 comentários:

Postar um comentário

Leitores do Blog